2 de set de 2016

Parte 3 do Diário de Viagem: Veneza

Veneza é uma das cidades mais encantadoras que ja conheci. Ela incendeia nossa imaginação e encanta nossos sentidos com sua onipresente arquitetura milenar. A igreja dei Santi Simeone e Giuda, vulgo San Simeone Piccolo, é a primeira construção que vimos ao sair da estação de trem. Tendo em vista que é mais alta que boa parte das construções, sua cúpula azul apresenta ao transeunte um contraste de qualquer angulo que se veja.  Datada de 1738, é um dos pontos importantes de se conhecer.

Nesta ultima parte do diario de viagem a Veneza, fotografamos algumas das principais pontes, que interligam as diversas ilhas que formam a cidade. E além disso, compartilhamos um passeio de barco que mostra uma perspectiva diferente deste incrível lugar.




Igreja San Simeone Piccolo

A Ponte di Rialto, é a mais antiga das pontes de Veneza que cruzam o Grande Canal. Antes da sua construção em pedra, no século XVI, ela já existia em madeira inicialmente como uma ponte flutuante, construída por Nicolo Barattieri e tinha o nome de Ponte della Moneta (Ponte da Moeda), pelo fato de que ali perto cunhava-se a moeda que circulava por Veneza. Depois com o desenvolvimento do Mercado de Rialto (que existe até hoje) a área foi ficando cada vez mais movimentada e houve a necessidade de uma ponte mais resistente. A partir daí o comércio se intensificou e a ponte passou a ter o nome de Ponte de Rialto.

Personagens urbanos retratando o Carnaval de Veneza

O relógio que me acompanhou nesta viagem incrível é da Daniel Wellington! Para quem tiver interesse em adquirir, tem código de desconto para vocês no site: é só usar clarazebra na hora da compra!


A Ponte dei Sospiri (Ponte dos Suspiros) é uma das mais características de Veneza. Por Veneza tratar-se de uma cidade romântica por natureza, muitos acham que o nome da ponte é devido aos suspiros dos casais apaixonados quando passam sob ela nos passeios de Gôndolas. Ledo engano! A origem do nome é bem menos bonita, os suspiros eram de tristeza dos condenados que ao cruzá-la viam pelas janelinhas a cidade pela última vez, já que quem era condenado no Palácio dos Doges jamais saía com vida! O nome ficou popular no século XIX quando o poeta Inglês Lord Byron, em seu poema “Childe Harold’s Pilgrimage” citou: “Eu estava em Veneza, na Ponte dos Suspiros; Um palácio e uma prisão em cada mão.”


Veneza tem uma ponte inaugurada em 2008 e que se destaca das demais pelo uso de matérias modernos, completamente diferentes dos usados nas outras pontes. O projeto do arquiteto espanhol Santiago Calatrava é polêmico e divide opiniões tanto pelo custo da obra, quanto aos problemas relacionados ao uso. Com 94 metros de extensão por 9 metros de largura, a ponte liga a estação ferroviária Santa Lucia e o terminal de ônibus Piazzale Roma, sendo a quarta ponte no Grande Canal.
A foto que fizemos é a vista de baixo da ponte, captada durante o passeio de barco. 


Photos: Pierre Van Mayer


About / Sobre o meu look:

Watches: Daniel Wellington  Discount code: clarazebra

Óculos: Zerouv
Relogio: Daniel Wellington

Para quem tiver interesse em adquirir, tem código de desconto para vocês no site: é só usar clarazebra na hora da compra!

Vestido: Miroa
Alpargata: Miroa


Um comentário: