30 de dez de 2016

Retrospectiva 2016

Uau! Quantas cidades visitei em um só ano? Nem eu esperava por isso: Duas vezes em Veneza, duas vezes em Londres, duas vezes em Florença, duas vezes em Pisa e muitas vezes em Milão em apenas 365 dias. Eu não poderia ter previsto tantas alegrias... e hoje compartilho com vocês minha seleção de looks favoritos do ano. Espero que gostem e tenham um FELIZ 2017!!! Muito obrigada pelas visitas por mais um ano e que venham por ai mais sucesso e amor para todos nós!


*Cliquem nas imagens para abrir os posts completos.





Uma foto publicada por Ana Clara Campelo (@clarazebra) em
Uma foto publicada por Ana Clara Campelo (@clarazebra) em
Uma foto publicada por Ana Clara Campelo (@clarazebra) em

De repente, ele veio e virou o sentido de tudo. Do meu amor, gratuito. Da minha parte mais doce, que veio a tona, assim, em turbilhão. Eu aprendi a ser mulher depois de virar tia. Aprendi a ser amiga, companheira. A planejar o outro dia e não me fechar para o amor; já que ele, tão pequeno, faz questão de lembrar que "Eu te amo" é frase para todo dia, para qualquer momento de súbita vontade, de súbita liberdade e de extrema importância para não sufocar! Só por ele, de repente, eu tive que ser gente grande, pra descobrir que adulto nenhum tem, de fato, maturidade, e muito menos todas as respostas! Há oito anos eu não gostava de crianças (talvez por ser uma, ainda). Não acreditava em alma gêmea e nem mesmo cogitava fazer uma vozinha boba. Agora eu sou uma bobona assumida, brega e clichê, pelo simples fato de amar alguém que, nem sei como, virou motivo para eu acordar todo dia e ir dormir também, agradecendo a vida plena. Porque amar, eu descobri, é assim, gostoso que nem o nosso doce favorito. Sobrinho, filhote, amorzinho da Cainha. Tá ficando grande e de repente nem vai mais gostar que eu chame de apelido na frente dos coleguinhas. Mas eu prometo ser, sempre, o personagem secundário das nossas brincadeiras e vou ser a sua "Cainha", se você, entre um personagem e outro, ainda puder ser o meu Lipe, Meu melhor amigãozão! 💙
Uma foto publicada por Ana Clara Campelo (@clarazebra) em
Uma foto publicada por Ana Clara Campelo (@clarazebra) em
Uma foto publicada por Ana Clara Campelo (@clarazebra) em
Uma foto publicada por Ana Clara Campelo (@clarazebra) em

Nunca pensei que viveria um ano tão incrível na minha vida!! Sabe quando você de repente se toca de que provavelmente nada poderia ter sido melhor? A minha sensação foi de surpresa e êxtase extremo ao voltar os posts de 2016 e me deparar com tantos registros épicos da minha vida.

Passei a entrada do ano com dois dos meus melhores amigos, Pierre e Kayo, no lago de Como - Itália. Vimos os fogos de artifício enquanto comíamos uvas e nos abraçávamos para não congelar. Depois fomos para Bolate, onde comemos um jantar feito por um dos italianos mais legais e bons de cozinha que já conheci (meu concunhado Luiggi). E os meses que sucederam foram assim: conheci Veneza embaixo de chuva, vi neve pela primeira vez em Milão e fui até Pisa de carro para fazer a tradicional foto segurando a torre torta.

Por incrivel que pareça, eu nunca planejei ir a Paris, apesar de ter sido a Catedral de Notredame que me incentivou desde criança a fazer o curso de arquitetura. Foi preciso que meu namorado Pierre comprasse as passagens até la e me apresentasse ao tradicional macaron francês, para que eu caisse na real e percebesse que iniciava ali um grande ano. Nos hospedamos pertinho da Torre Eiffel e a visitamos muitas vezes em horários variados. Passamos um dia inteiro no Palácio de Versalles, encantados com os salões e jardins onde dançou e pecou Maria Antonietta, a rainha condenada  por sua (ingenua) luxuria. Gastamos outro dia no Louvre, vendo múmias, quadros famosos, arte rupestre e também gastamos muitas outras horas no museu D'orsay, onde me emocionei verdadeiramente vendo ao vivo o meu primeiro amor impressionista: Pierre Auguste Renoir...

Voltamos para a Itália e me encantei com Florença, relembrando a toda hora o meu ídolo Da Vinci. Fomos a ROMA e eu quis morar lá, tendo aprendido que não existe nada mais instigante ao homem do que a contemplação das coisas belas. Conhecemos a cidade do Vaticano e vimos de perto a Pietá de Michelangelo, uma obra que eu acredito que merecia mais contemplação do que eu dediquei. Fomos a Turim e vislumbramos um por do sol inimaginável sobre a ponte Vittorio Emanuele I. Comi muitas pizzas. Tomei muitos cappuccinos com brioche de crema. E saboreei muitos gelatos de morango e limão siciliano, invariavelmente. Vi pessoalmente no museu 900, as obras daquele maluco que não pintava olhos em retratos e era obcecado por pescoços: Modi (gliani)!

Então em Março voltei para o Brasil, retomei as aulas de Pilates e RPG. E mais uma vez namorei a distancia com o garoto que eu conheci, coincidentemente, em uma virada de ano.

Comemorei o aniversário da minha mãe em casa, fiz meu juramento de ARQUITETA e Urbanista, dando aleluia por terminar minha segunda graduação e depois conheci outro lugar incrível: Cochabamba, na Bolívia; Onde colhi mais alegrias, comemorando a formatura do meu casal de irmãos mais velhos, Ana Kassia e James.

Após alguns dias em Cochabamba, voltei mais uma vez contra minha vontade para Rio Branco, onde passei os próximos meses apenas dedicada ao blog, curtindo meu sobrinho amado Lipe, nos finais de semana e meus amigos Mayara e Kayo, em encontros esporádicos. Em Julho promovi um Bazar que deu mais certo do que esperava... juntei dinheiro e comprei uma passagem de volta ao velho continente.

Em Agosto de 2016, comemorei a distancia o aniversário de 9 anos do meu sobrinho favorito João Felipe, pois embarquei para Milão, a encontro do meu amado Pierre. Fui recepcionada com uma carta de aceite da L'Università degli Studi di Milano, onde esperei um mês o resultado final que foi negativo para ingresso no mestrado. Mesmo não tendo sido uma boa noticia, Pierre me presenteou com uma nova passagem para Veneza, onde curtimos um tipo de "lua de mel cultural", que para mim, ficou guardada como a melhor viagem da minha vida.

Conhecemos a cidade e o festival medieval de Vicopisano. Voltamos a Pisa para mais fotos com a torre e um banho de mar. Fomos novamente a Florença, assistimos um concerto ao ar livre  na Piazza della Signoria, observando David de Michelangelo. Jantamos romanticamente, a famosa e não tao impressionante "Fiorentina" (prato tipico da cidade). Passamos dias incríveis em Milão e ainda visitamos um cassino na Suíça.

Em setembro passamos dois dias em Londres, no Reino Unido, para explodir meu pé de tanto andar e marcar oficialmente meu quinto país conhecido no mesmo ano...

Enfim, depois de um vai e vem louco entre Milão e outras cidades, em Outubro viemos para Londres de novo e decidimos ficar mais um tempo. Desde então tenho descoberto não só uma nova cidade, mas um novo amor. Um namorado atencioso, que me orgulha ao seguir seus sonhos e colocar o que for preciso em pratica para realiza-los. Um garoto bonito, que tem ética e algumas outras qualidades que eu não vi em mais ninguém e rezo a cada dia para não me decepcionar.

Estou feliz em ver como meu ano foi bom, mesmo que eu não tenha planejado nem um desses grandes sonhos realizados. Mesmo eu não querendo me entregar tanto... mesmo eu tendo medo... e apesar de preferir números impares, eu não tenho absolutamente nada para reclamar do meu ano de 2016! Aliás, eu só tenho alegrias para contar!

(Esta virada de ano só poderia ser mais feliz, se minha família estivesse aqui em Londres comigo.)

Sou grata pelo que vivi, pelo que eu colhi e principalmente pelo que eu senti neste ano!!
Sou mais feliz hoje do que 10 anos atrás. Sinto que sou um ser humano melhor hoje do que 10 anos atrás. E Espero que minha vida continue sendo tão boa, tão recheada de bons momentos e boas lembranças, tão cercada de pessoas boas, tão completa de amor e gratidão. E que não falte dinheiro para me levar aos meus amores. Que não falte consciência, sabedoria e humildade para gastar tempo e dinheiro. Que não falte saúde para sustentar o meu pequeno corpo. Que não falte estudo e descobertas para sustentar meu intelecto e o meu juízo. Que não falte amor nem sequer um segundo dos próximos todos os dias.

E que todos vocês que dedicaram um tempo me acompanhando, possam ser MUITO FELIZES tanto ou mais do que eu sou e desejo ainda ser! Que o ano que vem seja melhor para o Brasil, melhor para os brasileiros, melhor para o mundo inteiro e que acima de qualquer coisa, que seja o amor ao próximo (e não aos nossos Smartphones e as tantas ilusões que eles promovem) que transforme o nosso dia-a-dia.

Assim seja!

Um comentário:

  1. A vida é uma caixinha de surpresas! Que história linda!
    Que vocês sejam sempre felizes!
    Sucesso pra você, na vida pessoal e profissional!
    Saudações acreanas :-)

    ResponderExcluir