28 de fev de 2012

Mint Mania

Quem me conhece sabe que eu não vivo sem chicletes. Na minha bolsa sempre tem uma variedade considerável de consumidora compulsiva das gomas de mascar. Hoje deixo um post com look simples inspirado na cor do momento, o tom do chiclete de hortela, que tem se propagado poe aí com titulos como Mint, Aquamarine, etc... Espero que gostem.

mintania copyMint Mania 1Mint Mania- aquamarine (2)Mint Mania 2

Anel de flor: H&M. Anel duplo de pássaros: Brechó da mãe da Ana Helena, na rua do Pronto atendimento da Unimed Rio Branco.
Braceletes: Marisa. Sandália: Via Uno. Calça: Renner. Blusa: Colcci.
xxx


24 de fev de 2012

Forever young

Na quarta feira de cinzas, quando tudo tendia a ficar realmente plúmbeo e estranho, cresceu a ideia de sair para fazer qualquer coisa feliz, impulsiva e doce. Eis que a Camilla e o Richarles pareciam estar na mesma vibe e não podia ter sido melhor a nossa escolha: Entre frozenccinos, fotos, risadas e guloseimas, conseguimos capturar o espírito jovem que nos moveu no momento. Esse espírito que todos devíamos levar eternamente... Sair, curtir, cair, levantar, acreditar, vibrar, correr, dançar, chorar e se reerguer. Assim, a velhice só vai chegar uns quinze anos depois da idade em que estivermos. Afinal, o que será a idade além de números invisíveis? Para mim, apenas experiência de vida.
Não deixem que seu espírito envelheça. Eu pretendo nunca deixar!

dovers copyclarascefe copyclara e camillaClara Campelo, Richarles Rodrigues e Camilla BrozzodoiscalradaClara Campelo e Camila BrozzoricharlsclaecapretoebrancoClara Campelo e Camilla Brozzo
(ouçam também: Too Young e 1901)

Concluo o post ao som de Phoenix (banda francesa indie-pop) ou fênix, o pássaro da mitologia grega que, quando morria, renascia das próprias cinzas.
Que consigamos sempre renascer, por mais gris que esteja a vida. Liberdade, alegria, juventude e renscimento. Essas são as palavras desse fim de semana!

Conheçam o blog da Camila (fashionistAC) e do Richarles (TheMaleAvenue) e sigam-me os bons! haha ;)




23 de fev de 2012

Good News

Bom dia, gente! Lembram das minhas dicas de compras online? Eu sei que vocês amaram a NumberA, e por isso, hoje venho avisar a vocês que a loja está dando um desconto de 10% para os meus leitores!
Basta escrever a senha ZEBRA no código de promoções (APLY PROMO CODE) e pronto, 10% off!
efeu
Legal não é? Eu já tinha anunciado a novidade pelo facebook e também pelo banner da barra lateral do blog, mas sempre é bom reafirmar as boas novas...
Espero que aproveitem porque eu já vou comprar minha camisa Wildfox e meu cordão de coração em lego! haha :)

xxxx
Clara Campelo

22 de fev de 2012

Legging Estampada: Galaxy Print


No meu carnaval particular, usei a máscara de pessoa que escreve na frequencia do pensamento, além de uma linda legging estampada, presente da Lídia Bimbi (Trinta milhões de obrigadas e parabéns pelo trabalho incrível! :), uma conterrânea que mora em Brasília e trabalha com estamparia textil. Ela me enviou o presente há mais de um mês e eu não via a hora de chegar um dia com clima agradável que me permitisse levar esse monte de estrelas para onde eu fosse...

DSC_4503 ey
sapatoDSC_4503 maskacUntitled-1
Não é sem freqüência que me permito gastar horas da vida a pensar sobre a relação das pessoas com suas próprias máscaras. Eu, que havia sempre pensado em laborar na arte da poesia, desde que me entendo por alguém sensível -no meu âmago de pessoa indiferente- percebo um choque de eus que ignora boa parte do que fui enquanto aspirante a poeta, atriz ou mesmo pintora. Viver é quase uma experiência contraditória, quando somos um a cada instante, quando somos influenciados, quando vestimos e desvestimos, quando negamos ou aceitamos...
Eu sempre odiei a palavra moda e de repente estou aqui para vestir minha personalidade e dizer sempre a vocês sobre alguma coisa que pode vir a ser ditadura neste meio. Acontece que, como ser construto e camaleônico, se é que posso assim dizer-me sem ofender meus valores mais instrínsecos, transfiguro-me em verdade a cada óptica que tenho sobre as coisas. Mesmo com tanta influência antiga e admiração pelo clássico, eu adoro me permitir ao anarquismo, a percepção de cada autor como se ninguém fosse realmente certo, ou melhor, fosse cada um dono de sua verdade. O dadaísmo fez isso comigo. Estudá-lo para perceber-me absorvida em niilismo, de não sentido, de sim e não e tudo e nada. 
Em meio à ditadura do “tem que usar” de todos os blogs e revistas de moda ao redor do mundo, eu me propuz a quebrar um paradigma: Falar de roupa como quem fala de uma máscara, de uma persona que reflete ou não um interior complexo até para si. Se antigamente, ir contra a maré podia dar em morte, hoje talvez, sem fazer história eu acabe entrando apenas para a contagem dos loucos anônimos.
Mas sem problemas não fazer sentido em um mundo que se volta para trás numa obsessão pelo revival. Posso justificar minha aluscinação pela infuência em qualquer movimento futurista da arte e ainda ser "dahora" seguindo a retrofuga. Estou flutuando nas Claras que sou...
DSC_4503 mascara
cassaaaaaaaaDSC_4503 mass

Legging com estampa cósmica a venda (Brasil) no blog Topetuda: R$ 100,00 + frete.
E uma opção gringa é a Black Milk, que tem uma variedade incrível de peças. *-*





20 de fev de 2012

Resultado do Sorteio Estilo Exclusivo & Zebra Trash

Boa noite, gente! Enfim o sorteio do Vale compras da loja Estilo Exclusivo chegou ao fim. Quero agradecer a todos os que participaram e dar meus parabéns a vencedora sortuda, que recebeu o número 36 na lista dos participantes (que chegou a 140, seguindo a regra de duas chances para os que respondessem a pergunta sobre estilo próprio): Ana Mora, que ganhou um crédito de R$80,0 no site da loja! :)

sorteio resultado

Não faturou? Sem problemas, fique atento as próximas postagens do Zebra Trash porque tem muita novidade vindo por aí. Equanto isso, veja os posts antigos ou clique aqui para conhecer melhor a loja online Estilo Exclusivo!

Inverno Amazônico


Feriadão de carnaval, folga, festa e também tragédia! Em Rio Branco mais de 15 mil imóveis foram atingidos até agora pela cheia do Rio Acre. Muitas famílias estão desabrigadas enquanto muitas outras tem aproveitado as horas livres para comtemplar o Rio que só sobe a cada dia.

Quando eu era menor, sempre ouvia minha mãe falar das cheias do rio que chegavam até a casa da minha avó, ali quase ao lado da ponte de concreto, por trás da antiga Agro Boi. Ela contava que mesmo com a alagação, ainda tinham gás pra ir curtir o carnaval, indiferentes. Mas até então eu só ouvia os relatos da minha família sobre o quanto havia subido o Rio Acre em décadas anteriores e estou impactada como muitos outros habitantes, com a ferocidade que tem avançado o Rio. Sem poder fazer muito além de me surpreender com as águas, aproveitei o fim de tarde em que fui comer esfihas na gameleira para tirar essas fotos. Era sexta feira e o nível ainda não havia subido a calçada. De lá pra cá, vocês imaginam como já subiu...

Rio Acre Fevereiro de 2012Rio Acre 2012 Tiago Tosh ArtRio Acre 2012Rio Acre 02/2012

Para ajudar os desabrigados, o tem conseguido arrecadar doações com postos montados em vários pontos da cidade, inclusive em cada extremo de onde está acontecendo o Carnaval (um na entrada pela Amadeo Barbosa e outro na entrada pela Arena da Floresta).
Eu já fiz a minha parte, mas nunca é demais, certo? Vocês também podem fazer suas doações nos postos dos Supermercados Araújo, Via Verde Shopping, Polícia Militar, Uninorte, Catedral, OCA, Fieac, Sebrae entre outros pontos de arrecadação disponíveis aqui.


17 de fev de 2012

2070

Bom dia, Trashionistas! Quem aí, brasileiro ou não, está preparadíssimo para o carnaval? Bem, eu que sou naturalíssima do Brasil confesso que não sou adepta de dançar as marchinhas, tampouco de curtir os desfiles das escolas, apesar de todo o glamour que elas impõem, com tantas penas, brilhos etc. Por isso mesmo, estou precisando fazer planos para o meu feriado prolongado, que com certeza não pode passar sem fantasia e diversão, nem que seja numa farra particular hahaha!

Pois bem, hoje solto fotos de um look setentinha, com aquele cropped top que eu já postei uma vez aqui em outro look com a mesma inspiração. As peças são todas baratíssimas, sem contar com a sandália que comprei fora da promoção na Santa Lolla, mas que agora está com um desconto inacreditável (:'/ sninf!!). Espero que gostem e aproveitem o carnaval, pulando, batendo cabelo, dançando, com fantasia ou não! ;*

DSC_3834 doorglasDSC_3834 cropedDSC_3834 copyasasDSC_3834 heelsDSC_3834 legs2356054705_809e38b4b7


E para quem quer curtir meeeesmo³ o carnaval mas não vai na onda das marchinhas, a opção de curtir um som mais "da hora" é o Grito Rock hoje no Casarão, a partir das 20h (ingressos custam R$ 10,00 inteira e eles também estão arrecadando doações de fraldas descartáveis, leite em pó, produtos de limpeza, água potável ou qualquer coisa que se possa contribuir para as famílias desabrigadas por conta da cheia do Rio Acre).
Para um som ainda mais pesado, a opção número 2 é o Carnarock, que acontecerá no dia 3 de março no Quadrilhódromo do Tucumã. Veja as bandas que irão tocar clicando aqui.

14 de fev de 2012

"Sou da minha infância como se é de um país!"

Um dia desses eu me voltei um pouco a infancia quando tive a ideia de fazer um trabalho manual. Essa era sem dúvida uma das brincadeiras que mais me atraía e eu sempre conseguia um dinheirinho extra na escola com meus trabalhinhos artesanais. Fazia bolsas de tecido e jeans, vendia desenhos e cordões de missangas que fazia por diversão e ainda ganhava em cima disso. Lógico que isso acontecia quando era ainda uma garotinha e hoje em dia nem sequer lembro de dar asas a minha criatividade e soltar as mãos para os trabalhos manuais. Até o desenho agora eu devo limitar (apesar de muita resistência) ao computador e isso me deixou um pouco distante dos meus hobbies de infância.
Daí que estava maluca por um maxi-colar e resolvi aproveitar meus ultimos dias de férias para confeccionar um ao meu modo de sempre: Trashion! Reaproveitando coisas que eu tinha. Coisas que normalmente iriam para o lixo, mas que eu nunca consigo jogar fora porque sempre acho que vou usar um dia -e uso.
Usei um tecido de látex que um amigo me deu há mais ou menos dois anos e estava guardado por aqui esperando por uma luz que me desse coragem e criatividade pra usar e uns quadradinhos de espelho que tirei de umas peças ornamentais de decoração que já não serviam. O resultado ficou bem como eu esperava: O látex contrastou super bem com os espelhos apesar de serem materiais muito distintos.

DSC_3494 claraClara CampelobolsaDSC_3494 s closdetalhe colarDSC_3494 sandaliaDSC_3494 s bolsalook

Estreei a peça em uma tarde de fim de semana e a seguinte frase não saia da minha cabeça enquanto usava o colar: "sou da minha infância como se é de um país..." As palavras do Manuel de Barros sempre tem muita verdade em mim. Acho que a gente sempre tem que se permitir a momentos nostalgicos e voltar um pouquinho pra se encontrar em tempos perdidos. Afinal, não se deixa de ser, aprimora-se.

A roupa que usei é toda de liquidação... Sandália Perepepé (R$ 29,90) e bolsa da praça em frente a PM (R$ 30,0).


Do Latim, Patior...

valentines

Que é a paixão? Será a transmutação dos valores, o inconsciente, a criatividade, o amor transfigurado, a antítese do ódio, o perigo real? Se é da paixão que trata a literatura e se não há romantismo literário sem a imagem da mulher, não haverá a palavra paixão sem a idéia do feminino subentendida. Por que nos tornamos objetos desse sentimento e ainda buscando-o em todos os campos da vida, sabendo-o fugaz, nos permitimos aos sintomas extremos a que ele nos induz?

Bem se sabe que o grande movimento da paixão, o Romantismo -pelo menos no Brasil- foi um projeto de nacionalidade que para além disso, tinha caráter didático para a classe feminina, que aprenderia ali como se portar perfeitamente, sendo narradas cheias de perfeições fenotípicas e repletas de qualidades de anjo. Aliás, o principal precursor da corrente, o calvinista Jean Jackes Rousseau, acreditava na natureza virginal das mulheres e das crianças, que não se corrompiam [pela condição de inferioridade], aos pensamentos do homem.

A paixão, palavra que vem do verbo latino,
patior, que significa sofrer ou suportar uma situação dificil, significa também pertubação e doença, e na prática, de fato faz o indivíduo perder a individualidade além da sanidade, tamanho o fascínio que o outro exerce sobre o demente apaixonado.

Mas a paixão é coisa de mulherzinha. No terceiro milênio "cada qual pega geral" e a palavra foi vulgarizada ao ponto de manter presença certa apenas nas composições clichês dos cantores mais 'dahora' -principalmente no pagode e sertanejo, onde a temática surpreendente das músicas permite uma verdadeira releitura dos sucessos e as novas canções apenas fazem uma troca de lugar de palavras. Já no século XIX, os autores românticos usavam a doença como metáfora. E as mulheres que se apaixonavam e viviam amores perfidiosos ou proibidos, logo ficavam doentes e morriam de uma doença do peito: de paixão, ou segundo os sintomas dados nas literaturas, morriam de tuberculose ou de tristeza. Morriam de amor, para parecerem ainda mais frágeis... Afinal, as mulheres sempre foram colocadas como o segundo sexo, e não podiam ficar sobre outro posto senão o de seres mais facilmente enleváveis.

A paixão sempre foi para mim uma epidemia da qual eu queria nunca precisar experimentar. Aos meus míseros nove anos, já distinguia bem homem e mulher e seus aspectos comportamentais dentro dos relacionamentos amorosos, mesmo nos desenhos animados. Pensava, tentando mentalizar uma oração para uma Deusa feminina: "Nossa, se todas as mulheres grandes se apaixonam, eu prefiro nunca crescer, porque parecem todas tolas, limitadas, cegas!"; e foi por isso também que eu chorei ao receber minha menarca, ao sair de um parque onde brincava de balanço com uns primos mais novos e ouvi minha mãe dizer o clássico "agora você já é uma mocinha". Depois disso, lembro que chorei por pelo menos quatro dias, enquanto a maldita se fazia presente ao meu corpo ainda infantil que relutava em ser algo qualquer que não um corpo de mulher.

Mas a paixão, antes que eu esqueça, é a maior representação do amor impossível. E porque é impossível se faz pertubadora, deixando insatisfeito o orgulho típico do ser humano, que luta para retomá-lo. Diferente do amor, a paixão é finita. Porque é também comum ao homem, prostrar o vigor e as esperanças frente a uma conquista. Logo se busca outra e a luta justifica o ardor já gasto.

Ao fim das contas, apaixona-se por pessoas belas. Aprendemos nos livros, pois, a
amar as feias e sofrer pelas criaturas divinizadas, por aquelas que o substantivo traduz: patior. Não damos 'patior' a pessoas feias, porque elas não merecem. Ou pelo menos é isso que o seu/ua amigo/a diz quando você pensa em sofrer: "Ah, mas ela não merece isso. Ela nem sequer é bonita." Viu só? Esse será o modelo Etnocêntrico, no qual vivemos sem perceber, buscando colocar no topo [do falo] os ditos poderosos por posse de beleza e bens monetários. E pouco importa se a figura se faz aceitável pelo que emana de sua aura: "Alô, mana! A gente se apaixona por uma imagem pré-concebida!". E é de príncipes encantados que estou falando. Não procuramos gente real para idealizar. Tenho dito...

Hoje é o Dia de São Valentim, dia do amor romântico e também uma das datas mais comerciais do mundo... Eu não podia deixar de fazer uma das minhas eventuais e irônicas verborragias. Viva ao amor e aos meus textos gigantescos! haha Bom dia! ;*





13 de fev de 2012

Wildfox Summer 2012



Fotografia: Mark Hunter
Styling: Cassandra Kellogg, Kimberley Gordon & Emily Faulstich
Cabelo: Anna Lee Fiorino
Make: Karina Moore
Modelo: Charlotte Free