26 de fev de 2011

           Para ser Brotinho...

Toda estação temos uma estampa que vira clássico. E como vocês sabem, o momento atual é o do oncismo. Eu mesma já disse aqui no blog alguns meses atrás, agora Reinaldo Lourenço e Marc Jacobs expuseram em suas passarelas: Tendência de poás revitaliza a moda dos anos 50 e 60.
Pra quem não viu ainda, acho válido conferir esse link da revista Quem (fotos da FPFW 2011), onde Loureço usa as clássicas bolinhas pretas com fundo branco, bastante usadas no fim da décadas de 50 e início dos anos 60 pelas mulheres "brotinhos" mais antenadas na moda.


60's

60's

60's

Ser Brotinho

"Ser brotinho é poder usar óculos como se fosse enfeite, como um adjetivo para o rosto e para o espírito. É esvaziar o sentido das coisas que transbordam de sentido, mas é também dar sentido de repente ao vácuo absoluto. É aguardar com paciência e frieza o momento exato de vingar-se da má amiga. É ter a bolsa cheia de pedacinhos de papel, recados que os anacolutos tornam misteriosos, anotações criptográficas sobre o tributo da natureza feminina, uma cédula de dois cruzeiros com uma sentença hermética escrita a batom, toda uma biografia esparsa que pode ser atirada de súbito ao vento que passa. Ser brotinho é a inclinação do momento.

Ser brotinho é atravessar de ponta a ponta o salão da festa com uma indiferença mortal pelas mulheres presentes e ausentes. Ter estudado ballet e desistido, apesar de tantos telefonemas de Madame Saint-Quentin. Ter trazido para casa um gatinho magro que miava de fome e ter aberto uma lata de salmão para o coitado. Mas o bichinho comeu o salmão e morreu. É ficar pasmada no escuro da varanda sem contar para ninguém a miserável traição. Amanhecer chorando, anoitecer dançando. É manter o ritmo na melodia dissonante. Usar o mais caro perfume de blusa grossa e blue-jeans. Ter horror de gente morta, ladrão dentro de casa, fantasmas e baratas. Ter compaixão de um só mendigo entre todos os outros mendigos da Terra. Permanecer apaixonada a eternidade de um mês por um violinista estrangeiro de quinta ordem. Eventualmente, ser brotinho é como se não fosse, sentindo-se quase a cair do galho, de tão amadurecida em todo o seu ser. É fazer marcação cerrada sobre a presunção incomensurável dos homens. Tomar uma pose, ora de soneto moderno, ora de minueto, sem que se dissipe a unidade essencial. É policiar parentes, amigos, mestres e mestras com um ar songamonga de quem nada vê, nada ouve, nada fala.

Ser brotinho é adorar. Adorar o impossível. Ser brotinho é detestar. Detestar o possível. É acordar ao meio-dia com uma cara horrível, comer somente e lentamente uma fruta meio verde, e ficar de pijama telefonando até a hora do jantar, e não jantar, e ir devorar um sanduíche americano na esquina, tão estranha é a vida sobre a Terra."


Trecho extraído do texto “Ser Brotinho” (1960), de Paulo Mendes Campos.

16 comentários:

  1. you look amazing clara!

    hope you're having a wonderful weekend

    xx

    ResponderExcluir
  2. Tá linda! Adorei o penteado e os óculos. Tá toda brotinho. rs
    bjão

    ResponderExcluir
  3. lovely photos

    http://elenavasilieva.blogspot.com/
    x

    ResponderExcluir
  4. Beautiful!

    xoxo,

    colormenana.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Classic Audrey Hepburn style! Looking the top! Or is that a dress you're wearing??

    Anyhow, looking gorgeous:)

    ResponderExcluir
  6. Your style is with a lot of personnality...i love it!
    :)
    Eugénie
    http://www.inblogwitheugeniebaby.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. wow you are just out of this world. you belong in a magazine
    havnt commented in a while but im still here !

    ResponderExcluir
  8. You look like a movie star!!! Like your look!
    Kisses

    ResponderExcluir
  9. Oi Clarinha,

    Adorei o penteado e a estampa de poá tb me encanta.

    O texto é maravilhoso! Acho que sou um brotinho, hi,hi,hi... Poderia sim ficar apaixonada eternamente por um mês...

    Bjos! Ótima semana!

    ResponderExcluir